Vênus

                                                                        Helena Kolody



Voa nave
rumo a Vênus.


Remoinham astros
Na vertigem do espaço.


A resvalar em milhões de quilômetros,
voa a nave
rumo a Vênus.


(Estrela da manhã,
estrela azul da tarde!
Esteiras de versos tapizaram teu caminho,
longínqua soberana dos poetas.)


Na mira da teleobjetiva,
a face de Vênus,
nebulosa e manchada,
chora o mistério perdido.