Poema Curitibano

                                                                          Noel Nascimento

 
 
 
No Largo da Ordem
As primeiras estrofes da fé
São a igrejinha antiga.
 
As ruas são de sonhos,
Vaivém de amores,
Carrossel dos tempos.
 
As casas de arte e história,
Ciência e fantasia.
Nas ruas, feira de bricabraque
Aos domingos.
 
O coração bate que bate
Na praça;
Tique-taque no chão.
 
O cavalo de pedra
Dá água no chafariz.
E os últimos versos erguidos
São as ruínas de São Francisco.
 
No chão, o tique-taque;
O coração bate que bate.
 
Banhado a ouro de sol
E a prata de luares,
colorido,
o relógio das flores
marca as horas das saudades.