Poema para Renata

                                                                          Noel Nascimento

 
 
 

Moça humilde e sofrida, ente celeste

Com que o Senhor encanta Sua casa.

 

Em cadeira de rodas excluída,

os santos acolheram-na na igreja.

 

Quando aparece, o céu se torna a praça

que alteia a Catedral de Caldas Novas.

 

Todos os dias entre imagens sacras,

ela em pessoa distribui graças.

 

Pelas visitas reza de mãos dadas

pedindo em transe a Deus que está lhe ouvindo

 

Nossa Senhora, com Jesus nos braços,

na tela doa altar-mor olha ela.

 

Na igreja não se pode distingui-la,

se é apenas um anjo ou uma santa.